A preparação para o vestibular é igual a ir para a academia

Você sabia que a preparação para o vestibular muito se assemelha aos treinos de um praticante da musculação? Na verdade, é possível fazer algumas boas analogias entre esses dois temas aparentemente aleatórios, então acompanhe esse artigo até o final para entender melhor algumas dicas e aplicá-las na sua rotina.

Constância

Uma das maiores dificuldades das pessoas que buscam melhorias no corpo por meio da musculação é manter a constância. Com isso, frequentemente as pessoas buscam projetos mágicos de emagrecimento em um curto período de tempo ou passam a treinar freneticamente por algumas poucas semanas esperando resultados quando, na verdade, estão se expondo ao risco de overtraining e de lesões. Contudo, ao se conversar com pessoas que atingem resultados admiráveis e sustentáveis no corpo com a musculação, elas costumam relatar que a constância é uma das peças mais importantes no processo.

Passando para o mundo do vestibular, a constância também é tão importante quanto na academia. Muitos alunos, principalmente no início da preparação, gostam de passar 8 horas por dia estudando sem parar, o que obviamente não é algo sustentável. Da mesma forma que os frequentadores estarão expostos ao risco de lesões e de overtraining ao treinar freneticamente, os alunos estarão expostos ao Burnout e à ansiedade, que poderão facilmente interromper e atrapalhar a sua preparação. Dessa forma, o melhor estudo é aquele que você consegue manter por toda a sua preparação.

Progressão de Cargas

Um dos princípios da evolução na academia é a evolução gradual de cargas. Dessa forma, tanto não faz sentido um praticante de musculação manter as mesmas cargas iniciais “para sempre”, como não faz sentido ele querer, no primeiro treino, pegar pesos elevadíssimos. Da mesma forma que um atleta deve buscar evoluir suas cargas progressivamente, indo até o seu limite, um estudante deve estar também em busca de aumentar o seu ritmo de estudos, sendo uma forma simples começar reduzindo o tempo de uso do celular, por exemplo. Além disso, se não faz sentido o atleta pegar as maiores cargas no início dos treinos, também não faz sentido um aluno se martirizar por não conseguir resolver a questão mais difícil do simulado ou do capítulo. Com um trabalho gradual, constante e bem feito, as questões mais difíceis e o ritmo de estudos virão assim como um atleta aumenta os seus pesos com o passar do tempo.

O início é mais difícil

Dificilmente alguém começa a musculação já adorando praticar esse esporte, já que os exercícios são monótonos e as dores no pós-treino são insuportáveis. Contudo, com o passar do tempo, os treinos passam a entrar na rotina e, ao ver a evolução do corpo, muitos praticantes passam a gostar bastante de todo o processo. Essa ordem ocorre muito frequentemente também entre os alunos no ano de vestibular: no início, estudar é insuportável e a procrastinação parece ser um convite tentador, à medida que o aluno se sente cansado ao final dos dias e da semana. Contudo, assim como na academia, o mais difícil é começar, pois ver as quantidades de questões aumentando, os assuntos sendo compreendidos, a evolução como aluno e a aprovação cada vez mais próxima são muito recompensadores. Então, não desista no início pois lá na frente o esforço será recompensado!

Você também pode gostar destes posts

7 pontos para uma revisão de sucesso

Chegando a reta final da preparação para o vestibular e uma das...

Como e quando começar a sua preparação para a segunda fase do INSPER?

Em minha trajetória de alguns anos como assessor percebi que uma das...

Conheça a redação do INSPER

É frequente que os alunos tenham dificuldade na redação do INSPER e,...

plugins premium WordPress

Estude na BNE

Garanta sua preparação com a MELHOR e MAIOR para FGV e Insper. Conheça já nossas turmas!