Inteligência emocional no pré-vestibular

Para ajudar no entendimento de quão fundamental é a inteligência emocional na preparação para o vestibular, façamos uma analogia com a construção de uma casa. Um dos primeiros passos em qualquer processo de edificação é começar pelos fundamentos da casa e, em vez de se começar a empilhar tijolos “para cima”, começa-se cavando “para baixo”, a fim de se chegar a um solo firme, pronto para receber os alicerces da casa. Caso esse processo não seja bem executado, tudo que vier depois corre sério risco: as paredes podem desmoronar, a casa pode ficar instável, dentre várias outras consequências. Ou seja, de nada adianta uma casa feita às mil maravilhas sem um bom fundamento.

Certo, e o que isso tem a ver com o vestibular?

No mundo dos estudos, o alicerce de qualquer preparação é a inteligência emocional. Afinal, como pode um estudo render se o aluno não consegue se concentrar de forma nenhuma? De que adianta ter se preparado da melhor forma possível se o vestibulando não consegue conter a ansiedade no dia da prova, dando aquele “branco total”? As respostas a essas perguntas escancaram a importância que a inteligência emocional tem no pré-vestibular: sem ela, toda a preparação desmoronará.

Mas, calma! A verdade é que a inteligência emocional é algo treinável, então, para desenvolver a sua, acompanhe as dicas desse artigo até o final!

Autoconhecimento

Um aspecto chave no desenvolvimento da inteligência emocional é conhecer a si mesmo. Sendo assim, tente identificar as atividades que te deixam mais relaxado, as atividades que te deixam mais alegre, as atividades que mais te estressam e as atividades que mais sugam as suas energias. Com isso, saiba que dificilmente um dia única e exclusivamente com atividades exaustivas será proveitoso. Então, busque sempre alternar atividades boas e ruins, sabendo que todas devem ser feitas mas que elas podem ser feitas de forma mais leve.

Preste atenção a suas atitudes

Perceba que frequentemente algo muito pequeno desencadeia uma série de reações que, na verdade, não precisavam ocorrer. Por exemplo, se atrasar para a primeira aula pode te deixar estressado, o que te faz prestar menos atenção naquela aula, que te deixa ainda mais estressado e faz com que o dia todo, ao final dele, não tenha rendido nada. No entanto, se você parar para pensar, uma coisa não tinha nada a ver com a outra! Sendo assim, preste atenção ao que você faz e por que você faz. Se algo de ruim acontecer, tente isolar isso e virar a página!

A importância da postura

Quem não gosta da companhia daquela pessoa que chega e alegra o ambiente com toda a sua energia positiva? A verdade é que energia contagia, então, tente você mesmo ser essa pessoa, ou seja, dê uma chance a si mesmo de resolver os problemas que surgem e os encare como eles realmente são: um problema com início, meio e fim. Claro, essa dica pode parecer óbvia, mas muitas quanto mais você encara os problemas como superáveis, mais fácil se torna resolver um atrás do outro, no entanto, o que falta muitas vezes é superar justamente o primeiro deles.

Conheça seus pontos fortes e fracos

Semelhante à dica do autoconhecimento, saber seus pontos fortes e fracos pode ser crucial na sua preparação. Por exemplo, em vez de ficar insistindo em aprender sozinho um assunto mais difícil, busque a ajuda daquele colega que domina o assunto ou vá à monitoria. Você aprenderá com mais facilidade e despenderá menos energia, tudo por saber reconhecer aquilo em que você precisa de ajuda.

Agora, coloque as dicas em prática e venha dizer o que achou!

Você também pode gostar destes posts

O que estudar para passar na FGV?

Em produção…

Conheça a redação do INSPER

É frequente que os alunos tenham dificuldade na redação do INSPER e,...

Qual a média para passar na FGV?

Em produção…

plugins premium WordPress

Estude na BNE

Garanta sua preparação com a MELHOR e MAIOR para FGV e Insper. Conheça já nossas turmas!