A pandemia acabou com o meu ensino médio. E agora?

A pandemia veio para afetar, literalmente, todas as pessoas, independentemente de idade, gênero, profissão ou país. O mundo todo virou de cabeça par abaixo e, é óbvio, os alunos de ensino médio não ficaram alheios a isso: pelo contrário, foram alta e negativamente impactados.

Antes da pandemia, verdade seja dita, muitos alunos estudavam apenas às vésperas das provas, buscando decorar o conteúdo e, pouco tempo após a avaliação, muito do conteúdo já havia ido embora, contudo, alguma coisa ficava. Durante a pandemia, no entanto – e, mais uma vez, verdade seja dita – essa grande maioria dos alunos passou a sequer se dar o trabalho de estudar de véspera, já que o modelo de fiscalização no EAD se tornou bastante “falho”. Logo, se no pré-pandemia pouco conteúdo era assimilado pela maioria dos alunos, no período pandêmico ainda menos foi assimilado.

E qual é o resultado disso? Agora, após 2 anos de pandemia, muitos alunos chegam ao ano de pré-vestibular com pouca ou nenhuma bagagem de conhecimento seja em matemática, seja em português, seja em redação… Isso quer dizer que está tudo perdido para esses alunos? Jamais! Apenas que eles devem se atentar a alguns pontos específicos da sua preparação.

Sendo assim, se você acha que foi prejudicado em maior ou menor grau pela pandemia, veja algumas dicas fundamentais para a sua jornada de vestibulando.

  1. Foco na base: Assim como uma casa precisa de bons fundamentos para se manter erguida no tempo, uma boa preparação precisa de uma boa base. Sendo assim, principalmente em matemática, antes de passar para conteúdos mais complexos e pontuais, desenvolva bem o “feijão com arroz”, ou seja, conteúdos mais elementares e que serão usados, basicamente, a todo momento, por exemplo: regra de três, grandezas proporcionais, transformação de grandezas, funções lineares, porcentagem… Com isso, os próximos conteúdos serão assimilados de maneira mais fácil e rápida
  2. Comece a fazer muitas questões: Como você não teve um ensino médio muito puxado, pode ainda não ter o hábito de fazer muitas questões, seja por falta de vontade, seja por não saber que elas são importantes. Contudo, a resolução de exercícios é a forma de estudo “padrão-ouro” do vestibulando, então passe a criar esse hábito.
  3. Entenda como você funciona: Muitos alunos chegam ao pré-vestibular já sabendo como estudar, seja por resumos, seja por flaschcards, seja por videoaulas. A verdade é que cada pessoa tem uma forma de estudo que rende mais. Logo, é fundamental que você busque entender como você funciona, ou seja, teste de tudo um pouco e veja a forma mais prazerosa de estudar.
  4. Aproveite o erro: Saiba que o erro na preparação não deve ser visto como uma punição, como no caso das provas da escola, mas sim com uma oportunidade de não cometer o mesmo erro no dia da prova. Sendo assim, enxergue cada questão errada como uma fonte de aprendizado.

Tente aplicar essas dicas o mais cedo possível, pois assim será capaz de usufruir de uma preparação mais leve e produtiva!

Você também pode gostar destes posts

Dicas para render mais no EAD

Com o início da pandemia, a realidade do EAD foi imposta não...

Como incentivar meu filho a se preparar para o vestibular do Insper?

Nós do BNE conhecemos bem uma situação frequente que ocorre em muitas...

5 formas de vencer a procrastinação

Sem dúvidas, a palavra que mais assombra a preparação da maioria dos...

plugins premium WordPress

Estude na BNE

Garanta sua preparação com a MELHOR e MAIOR para FGV e Insper. Conheça já nossas turmas!